Putin Armênia

O presidente russo, Vladimir Putin, chega para a cerimônia de boas-vindas em Yerevan, Armênia, em 23 de novembro de 2022.Colaborador/Getty Images

  • A Yandex, a maior gigante de tecnologia da Rússia, planeja cortar relações com a Rússia, de acordo com o NYT.

  • A empresa controladora da Yandex está preocupada com o impacto da guerra na Ucrânia em seus negócios.

  • A saída pode ser um golpe para o presidente Putin, que concentra seus esforços em tecnologias e bens domésticos.

A Rússia está prestes a perder sua maior empresa de tecnologia, o que inviabilizaria os planos do presidente Putin de promover alternativas russas à tecnologia ocidental.

Jandex, muitas vezes referido como o Google da Rússia, é a maior empresa de internet do país, mais conhecida por seu navegador de busca e aplicativos de carona. Mas sua controladora com sede na Holanda quer sair da Rússia por causa do potencial impacto negativo que a invasão da Ucrânia poderia ter em seus negócios, de acordo com um Reportagem do New York Times. A saída da maior gigante de tecnologia da Rússia seria um golpe para o presidente Vladimir Putin, que fez um esforço conjunto para produzir tecnologia e bens russos, já que as sanções limitam o acesso a fornecedores ocidentais.

Como parte de um plano de reestruturação mais amplo relatado primeiro pela empresa de mídia russa The Bell, controladora da Yandex (chamada Yandex NV), transferiria seus novos negócios e tecnologias mais promissoras – incluindo carros autônomos, aprendizado de máquina e serviços de computação em nuvem – para fora da Rússia, informou o Times, citando dois fontes anônimas familiarizadas com o assunto. Essas empresas precisariam de acesso aos mercados ocidentais, especialistas e tecnologia, nenhum dos quais é lucrativo enquanto a invasão russa da Ucrânia continuar e as sanções ocidentais permanecerem em vigor.

No entanto, a decisão de realocar o incipiente negócio de tecnologia da Yandex pode não caber à empresa controladora. A empresa deve obter a aprovação do Kremlin para transferir licenças de tecnologia registradas na Rússia para fora do país, informou o The Times. Além disso, os acionistas da Yandex teriam que aprovar o plano de reestruturação mais amplo.

O setor de tecnologia da Rússia é duramente atingido na guerra da Ucrânia

O negócio de Yandex, uma vez Aclamado como uma rara história de sucesso empresarial russo, lutou desde a invasão da Ucrânia. A história da gigante da tecnologia não é diferente da do Vale do Silício. A Yandex empregou mais de 18.000 pessoas, valia mais de US$ 31 bilhões e é frequentemente chamada de “Google da Rússia”. Isto tinha até escritórios no centro de Palo Alto, Califórnia em um ponto.

Mas desde a invasão russa da Ucrânia, milhares de funcionários da Yandex deixaram a Rússia, desvalorizando as ações da empresa listadas em Nova York. Perdeu mais de US$ 20 bilhões quase imediatamente após a guerra, antes que a Nasdaq parasse de negociar suas ações. Enquanto isso, as ações da Yandex listadas em Moscou caíram 62% no ano passado.

O infortúnio da Yandex, de acordo com outros, reflete outras empresas de tecnologia russas lutando contra as sanções ocidentais e o êxodo de dezenas de milhares de trabalhadores russos de TI. Reportagem da Al Jazeera. Nem mesmo Putin pode negar isso, admitindo que o setor de TI da Rússia enfrentará “enormes” dificuldades, já que os EUA e outros 37 países limitam o acesso da Rússia a tecnologias como semicondutores e equipamentos de telecomunicações por meio de controles de exportação.

Desfazer a dependência da Rússia da economia mundial foi uma luta difícil para o país, mesmo antes da invasão e das sanções ucranianas.

Em 2015 o O Kremlin tentou impedir impedir que todas as agências governamentais usem software estrangeiro, mas a partir de 2019 apenas 10% do software usado pelo governo foi feito na Rússia. A Rússia também não depende apenas de tecnologia estrangeira. Mais da metade, ou 65%, das empresas russas dependiam de importações para sua fabricação, de acordo com uma declaração de 2021 do Banco Central da Rússia. Dos carros ao papel de escritórioa maioria das empresas envolve fornecedores estrangeiros em algum ponto da cadeia de suprimentos.

Continue lendo o artigo original insider

By Ortega

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *