Nova york Negócios da CNN

MC Donalds terá que se defender contra um processo de US$ 10 bilhões movido pelo magnata da mídia Byron Allen sobre alegações de que a cadeia de fast-food não anuncia na mídia de propriedade de negros.

Um tribunal federal decidiu na semana passada que Allen e sua empresa, Todo o grupo de mídiaEla pode tentar provar no tribunal que o McDonald’s violou as leis de direitos civis.

todos diz em um comunicado de imprensa que apenas uma pequena parte – cerca de US$ 5 milhões do orçamento anual de publicidade de US$ 1,6 bilhão do McDonald’s – vai para a mídia negra e que a empresa “se recusou a anunciar em suas redes”, às quais o Weather Channel e o Comedy.TV.

Ele também acusa o McDonald’s de relegar suas emissoras de TV a um “nível afro-americano” que tem um orçamento publicitário menor e está roubando milhões de dólares em receita anual das emissoras.

“Trata-se da incorporação econômica de empresas de propriedade afro-americana na economia dos EUA”, disse Allen no comunicado. “O McDonald’s recebe bilhões de consumidores afro-americanos e não devolve quase nada. O maior déficit comercial na América é o déficit comercial entre as Américas brancas e as Américas negras, e o McDonald’s é culpado de perpetuar essa disparidade”.

Em resposta, a advogada do McDonald’s, Loretta Lynch, que foi procuradora-geral dos EUA durante o governo Obama, disse que as evidências mostravam que a empresa não discriminava e que as alegações de Allen eram “infundadas”.

“Sua reclamação está relacionada à receita, não à raça, e as alegações infundadas dos queixosos ignoram as razões comerciais legítimas do McDonald’s para não investir mais em seus canais e os relacionamentos comerciais de longa data da empresa com muitos outros parceiros de propriedade variada”, disse Lynch agora em privado. prática no escritório de advocacia Paul Weiss.

O caso irá a tribunal em maio de 2023.

MC Donalds (MCD) anunciou no início deste ano que aumentaria a publicidade com empresas de propriedade de negros de 2% para 5% até 2024 resolveu uma ação movida por um franqueado negro que alegou que a empresa o levou a restaurantes menos lucrativos em bairros de baixa renda, principalmente negros por causa de sua raça.

“A discriminação não tem lugar no McDonald’s”, disse a empresa em dezembro de 2021. “Embora estejamos convencidos da força de nossos argumentos, esta resolução é consistente com os valores do McDonald’s e nos permite permanecer comprometidos com nossos compromissos com as comunidades com foco em a quem servimos. ”

By Ortega

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *